Coffea Robusta

Além do grão Coffea Arábica, que já ilustrou um post aqui do De Café Eu Entendo, existe também um outro tipo de planta de café, chamado Coffea Canephora, que tem duas variedades, Robusta e  Nganda. Essa variação da planta do café tem origem na África Subsaariana e, atualmente, o maior produtor é o Vietnã, onde o Coffea Robusta foi introduzido por colonos franceses no final do século XIX.

Apesar do Brasil ser o maior produtor de café do mundo, a maioria da produção brasileira é da variedade Coffea Arábica.

O Coffea Robusta só foi reconhecido como espécie de café cem anos após o Arábica. Representa 20% da produção de café do mundo.

Os grãos do Robusta são mais robustos (daí o nome da variedade) do que o Arábica, mas produz uma bebida de degustação inferior com um maior teor de cafeína.

Por ser mais fácil de cultivar que o Arábica, acaba sendo mais barato de produzir, mas pela qualidade inferior dos grãos, serve apenas para enchimento de mistura de  café de qualidade mediana. É também usado em pó de café instantâneo e em espressos blend para promover a formação da crema.

Após a torra, o Coffea Robusta possui um sabor terroso e mais amargo que o Arábica. Esse sabor costuma ser desejável em blends pois dá “força” e “término”, notórios da cultura de café italiano. Normalmente, nas opções de pó tipo blend, 70% da mistura é a base do Coffea Arábica e 30%, do Robusta.

Beijinhos,

Lak

Se você gostou, leia também:

2 respostas a Coffea Robusta

  1. Lobo disse:

    Parabéns pelo blog Lak, eu também sou apreciador de um bom café. Infelizmente não conheço tantas variações, estou tentando aprender.

    Muito bom, vou aprendendo por aqui. Ainda não conheci uma boa cafeteria em Brasília.

    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *