Reflexões sobre o café mais caro do mundo: Kopi Luwak

Lembram do post que fiz sobre uma cafeteria maravilhosa que encontrei perto de casa, a C espresso?

Pois então, como contei no review havia, dentre as opções de cafés de origem, um tal de Kopi Luwak, mas não experimentamos naquele dia, pois o barista disse que era um café que deve ser apreciado em separado.

Bem, algumas semanas depois, voltamos à C espresso para provar o tal café famoso (tinha voltado outras vezes antes, confesso).

Copiando a explicação sobre o café: produzido a partir do grão de café não-digerido pelo civeta, um mamífero que lembra vagamente um gato selvagem. Este café é produzido na Indonésia e Filipinas. O nome significa (Kopi) Café em indonésio e (Luwak), o nome local do civeta.

imagem de uma amostra do café especial kopiluwak dentro de um retangulo de resina, com um desenho do civeta ao lado.

Para quem tem curiosidade de saber sobre o Kopi Luwak, nada como uma explicação visual

Assim, confesso que pensar em como esse café é produzido não era das coisas mais animadoras dele. Mas, admito que fiquei curiosa para entender por que o café fazia tanto sucesso e resolvi fazer de conta que não sabia a origem dele e experimentar assim mesmo.

O café veio numa xícara de prata – sim, porque é preciso todo um cenário para você sentir que está fazendo algo fora do comum – e tinha um aroma espetacular de café bem feito. Suave, levemente adocicado, com notas de chocolate. A princípio, experimentei ele sem açúcar. O sabor é aveludado e realmente tem sabor achocolatado bem suave e é levemente ácido.

imagem de uma xícara de café de prata sobre uma mesa de marmore

Depois, decidi cometer uma heresia (claro que não sem ser ameaçada de morte pelo Caio Ferrari, o barista) e colocar açúcar no café, justamente porque muita gente me conta que só toma café adoçado e eu queria poder dizer se faz diferença.

E faz! As reclamações do Caio não foram à toa! Adoçar o Kopi Luwak altera o gosto do café, que fica sem graça, lembrando um café aguado. Esse, realmente, não dá pra adoçar!

Por conta do preço, não é um café que a maioria de nós poderia tomar diariamente, mas vale como experiência para algumas ocasiões especiais da vida.

Só insisto: não pensem na origem dele enquanto bebem! Apenas apreciem o momento!

Beijinhos,

Lak

Se você gostou, leia também:

6 respostas a Reflexões sobre o café mais caro do mundo: Kopi Luwak

  1. MA disse:

    Adorei… sempre tive curiosidade de tomar esse café, mas nunca tive coragem.

  2. Alinne disse:

    Bom se vale a experiência Voilá kkk !
    Mas é sério , deve ser bem melhor do que COMER o cagalhão …
    Esse deve ser um modo mais higiênico sei lá , bom mas se tem gente que come sabão e não morre…
    O que custo uma titica =D

  3. Lol disse:

    minha nossa.. quanta futilidade… onde você pretende chegar com esse conhecimento? como você pode se sentir útil fazendo isso…

    • laklobato disse:

      A lugar nenhum, é apenas um texto descontraído, que não tem QUALQUER propósito de ser útil. Quem disse que tenho obrigação de ser útil tempo integral? No mais, extremamente ÚTIL é você perder tempo criticando um blog feito apenas como passa tempo. Abraços

  4. Pingback: Como é feito o Café Vietnamês | De café eu entendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *